5 especialistas abordam o impacto e as vantagens da água inteligente

Já estão sendo adotadas soluções inteligentes para a água em todo o mundo. Perguntamos a cinco especialistas de empresas públicas de água, institutos de pesquisa e organizações sem fins lucrativos sobre os maiores desafios do setor da água. Eles falam sobre como a tecnologia inteligente da água pode ajudar a resolver esses problemas e como a implementação dessas tecnologias pode ser acelerada.

1. “Soluções rompedoras para lidar com os riscos de maneira nova e inovadora”

Katharine Cross é gerente do programa Basins of the Future, da International Water Association (IWA). A IWA promove o gerenciamento de água e águas residuais em todo o mundo através da pesquisa e desenvolvimento, organizando eventos para o setor da água e influenciando as normas e políticas relacionadas.

Desafios do setor da água: “Os desafios incluem a disponibilidade da água, a deterioração da qualidade da água e situações extremas, como enchentes ou secas.”

Como a água inteligente pode ajudar: “As tecnologias inteligentes da água oferecem uma oportunidade para encontrar soluções rompedoras e lidar com os riscos de maneira nova e inovadora. Compartilhar e permitir o acesso a dados, incluindo dados provenientes de observações, ciência cidadã e modelagem, pode ajudar a otimizar seu sistema de água ou a se preparar e agir em caso de situações extremas, como enchentes ou secas. Também pode ajudar a procurar soluções inovadoras, como abordagens descentralizadas, o que, por sua vez, pode ajudar a melhorar a saúde e o acesso à água e aos serviços de saneamento.”

Barreiras à implementação: “Uma das maiores barreiras no setor da água é o medo a correr riscos. Existe essa mentalidade de que devemos continuar no mesmo caminho porque é a opção mais segura.”

Aceleração da implementação: “Através do compartilhamento de informações, compartilhamento de conhecimento. Redes como a IWA podem ajudar a superar o abismo entre a inovação e a prática.”

2. “As soluções de gerenciamento inteligente da água já estão tendo grandes vantagens”

Stephanie Kuisma é diretor de projetos da International Water Resources Association (IWRA), uma organização não governamental sem fins lucrativos dedicada a melhorar e ampliar a compreensão dos problemas relacionados à água através de educação, pesquisa e troca de informações.

 Desafios do setor da água: “Um deles é a mudança climática e a incerteza que ela gera. Outro grande desafio é o crescimento da população, o que significa que a infraestrutura está atingindo seu limite ou está indo além de sua capacidade.”

Como a água inteligente pode ajudar: “A implementação de soluções inteligentes para a água já está tendo grandes vantagens em todo o mundo, em grande e em pequena escala, tanto em países desenvolvidos como em desenvolvimento. A maior oportunidade para a água inteligente é que podem ser fornecidas a melhor qualidade e a maior quantidade. E as vantagens não estão apenas relacionadas à água. Pode haver impactos muito mais amplos sobre as comunidades que estão usando esses recursos hídricos.”

Barreiras à implementação: “A falta de padronização da tecnologia e dos dados, que significa que, como gestor da água, você muitas vezes precisa escolher uma tecnologia que lhe compromete com um determinado caminho tecnológico. Outra barreira à implementação é a falta de disposição para compartilhar dados.”

 Aceleração da implementação: “A migração para soluções inteligentes para a água pode ser acelerada ao serem valorizadas também as vantagens não financeiras das tecnologias inteligentes da água: vantagens para a comunidade, vantagens para os usuários da água que não são necessariamente quantificáveis em termos desse retorno financeiro sobre o investimento.”

3. “Uma mudança de visão e um diálogo entre todas as partes interessadas

Cléo Lossouarn é gerente de projetos de saneamento e planejamento urbano da empresa pública de saneamento da Grande Paris (SIAAP), uma empresa pública francesa que transporta e trata águas residuais, águas pluviais e águas industriais para nove milhões de pessoas da zona urbana de Paris.

Desafios do setor da água: “Realizar uma verificação cruzada entre as partes interessadas que gerenciam a água na mesma região. Realmente precisamos de ferramentas que possibilitem o diálogo entre todas as partes interessadas envolvidas.”

Como a água inteligente pode ajudar: “As ferramentas de gerenciamento inteligente da água resultam em uma mudança de visão e possibilitam o diálogo entre todas as partes interessadas que trabalham na mesma região. Com o gerenciamento da carga de poluentes, os parâmetros de custo poderiam ser integrados na ferramenta para reduzir os custos operacionais do sistema. Também podemos integrar parâmetros para acompanhar e monitorar a qualidade da água.”

Barreiras à implementação: “Uma barreira é o alinhamento, garantir que todas as partes interessadas estejam dispostas a compartilhar informações e o façam de uma forma padronizada.”

Aceleração da implementação: “Para atrair o interesse das partes interessadas no gerenciamento inteligente da água e impulsar a mudança, precisamos agregar valor às vantagens e aos resultados que as ferramentas inteligentes proporcionam, além de deixar claro quanto isso iria custar sem as ferramentas de gerenciamento inteligente da água.”

4. “Ajudar as pessoas a entender e avaliar a qualidade da água que elas bebem

Jinsuhk Suh é um pesquisador sênior do K-Water Institute, uma corporação governamental coreana que constrói, opera, gerencia e desenvolve instalações para recursos hídricos, sistemas de distribuição de água, esgotos e energias renováveis.

Desafios do setor da água: “Na Coreia, a infraestrutura obsoleta é um problema realmente grave. Outro desafio é mudar a percepção das pessoas sobre a água, fazê-las entender que podem tomar água diretamente da torneira.”

Como a água inteligente pode ajudar: “As ferramentas de gerenciamento inteligente da água fornecem dados de qualidade que podemos dar às pessoas para ajudá-las a entender e avaliar a qualidade da água que elas bebem. Além disso, a tecnologia inteligente da água, como a medição, torna possível localizar com muito facilidade os pontos problemáticos em uma tubulação para priorizar substituições e facilitar o planejamento em longo prazo.”

Barreiras à implementação: “Acredito que muitos operadores não querem mudar seus sistemas devido ao trabalho adicional necessário. Além disso, como o sistema de abastecimento de água é subterrâneo, não é priorizado da mesma forma que a infraestrutura geral.”

 Aceleração da implementação: “A educação e a construção da confiança são muito importantes. Precisamos mudar a forma como as pessoas veem a água que bebem.”

5. “Uma oportunidade para conhecer melhor a situação real

Östen Ekengren é vice-presidente executivo do IVL Instituto Sueco de Pesquisa Ambiental, uma empresa de capital aberto que combina pesquisa e desenvolvimento aplicados para promover um crescimento sustentável em termos ecológicos, econômicos e sociais entre as empresas e na sociedade como um todo.

Desafios do setor da água: “A mudança climática é o problema número um para a maioria de nós, porque está relacionado a tudo. Outro desafio é que o setor da água não está muito bem organizado. Há uma organização responsável pelo tratamento de águas residuais e outra responsável pela distribuição de água potável, e às vezes elas não estão conectadas.”

Como a água inteligente pode ajudar: “A água inteligente oferece uma oportunidade para conhecer melhor a situação real, para ter uma perspectiva mais ampla e novas ideias sobre como a água pode ser usada. Acredito que seja um bom passo o fato de começarmos a reutilizar muito mais água do que a que já tratamos e a encontrar novas formas de tratá-la. Os medidores inteligentes ajudam a compreender como a água é usada e como otimizá-la.”

 Barreiras à implementação “Uma delas é o dinheiro: as empresas não têm dinheiro para fazer o investimento. Outra é que as cidades têm muita informação, mas não a compartilham. As pessoas que trabalham com a água deveriam ter as mesmas metas de alto nível.”

Aceleração da implementação: “Mais abertura por parte dos municípios e também maior colaboração entre o setor privado e a pesquisa. Essa seria a forma de avançar.”

Série de artigos

Em foco: Tecnologia e gestão inteligentes da água

Começar a ler

ASSINE NOSSO BOLETIM