Construindo o primeiro túnel de dois andares dos Países Baixos

Na cidade de Maastricht, na ponta sul dos Países Baixos, o trabalho continua no primeiro túnel de dois andares do país. O túnel Willem Alexander proporcionará uma melhoria no fluxo do trânsito e liberará mais área para desenvolvimento urbano. A primeira instalação técnica no túnel já foi encomendada e inclui uma solução de bombeamento avançada da Xylem.

O inovador túnel, com inauguração estimada para o final de 2016, incluirá um andar superior para o trânsito local e um andar inferior para o trânsito direto. Na superfície, a antiga autoestrada será substituída por uma área verde para ciclistas, pedestres e trânsito local.

“O túnel inferior também inclui dois tanques de água, um no lado norte e outro no lado sul, com uma capacidade de 120 m3 e 80 m3, respectivamente”, conta Ronald Ruisch, gerente de projetos da Strukton, a empreiteira encarregada do projeto. “Os tanques coletarão águas pluviais da superfície da rodovia, que serão filtradas e descartadas.”

Bombeamento de água entre os tanques

As águas pluviais da superfície da rodovia passarão por vários canais e um filtro de areia, e então entrarão no primeiro tanque através da tubulação de escoamento. A areia será removida da água antes que esta atinja o primeiro tanque de água não tratada. Duas bombas Flygt 3068 garantem que a água seja bombeada primeiro para o tanque de água não tratada, antes de ser transportada para o tanque de água limpa.

“O desenho final do túnel foi elaborado em consulta à Strukton, pois em um projeto tão grande é absolutamente necessária uma boa cooperação quanto ao desenho”, afirma Bas van den Berg, gerente de equipe de serviços públicos da Xylem. “As bombas do tanque norte têm uma capacidade total de 240 m3 por hora, enquanto que as bombas do tanque sul têm uma capacidade total de 135 m3 por hora.”

Bombeamento livre de entupimentos

A instalação nos tanques consiste em quatro bombas no norte, com uma de reserva, e quatro bombas no tanque sul, com uma de reserva. As bombas Flygt usadas incluem a tecnologia-N antientupimento da Xylem.

“Se, por algum motivo, entrarem partículas grandes no tanque, o impulsor das bombas Flygt da série N se moverá automaticamente, de modo que partículas sólidas maiores ou fibras possam passar facilmente pela bomba e evitar um entupimento”, explica Van den Berg. “Assim que o objeto for expulso, o impulsor voltará novamente à sua posição inicial.”

Adaptação das bombas a uma voltagem maior

A alimentação elétrica do túnel é de 690 volts, embora a voltagem normal em túneis seja de 400 volts.

“Essa voltagem não funcionaria aqui, devido à grande quantidade de cabos e tubulação que entram no túnel provenientes dos edifícios de manutenção, que precisam percorrer uma longa distância”, conta Van den Berg. “Se trabalhássemos com 400 volts, os cabos teriam de ser mais grossos, considerando as perdas de voltagem no trajeto, o que não seria exatamente eficiente. Portanto, optamos por 690 volts.”

Isso significa que a Xylem precisou adaptar suas bombas a essa voltagem mais elevada. Além de fornecer e instalar as bombas, a Xylem também forneceu a tubulação e os controles. A Strukton forneceu o software, que em breve será integrado no sistema de gerenciamento.

“Este projeto exige uma colaboração perfeita entre a Xylem e a Strukton”, diz Ruisch. “Estamos muito satisfeitos com a qualidade da engenharia, a execução e a comunicação, assim como com o resultado.”

Série de artigos

Em foco: Tecnologia e gestão inteligentes da água

Começar a ler

ASSINE NOSSO BOLETIM